sábado, 11 de junho de 2011

Lógica do Amor Contemporâneo

Donde haveria de vir um sentimento
Se o corpo não mais que da razão se ocupa
E nada mais lhe preocupa
Que senão, da lógica, o argumento?

E assim, ainda que verdadeiro o antecedente
Implique numa verdade o consequente
Do raciocínio, a veemência:
Não se faz válida a inferência

O amor há de ser sempre
Uma falácia!

5 comentários:

  1. Gostei muito do teu blog, Eduardo.
    O achei pela comunidade Escrever.
    Belos textos, viu!?
    E nossa, adorei o layout (:
    Parabéns =*

    ResponderExcluir
  2. Olá, muito obrigado!
    Que bom que gostou do blog. ^^

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente, o conceito do amor foi perdido =/
    Gostei do seu blog, adicionei =]

    ResponderExcluir
  4. Fazia tempo que eu não visitava o blog. adorei esse post, mesmo!=*

    ResponderExcluir