sábado, 26 de agosto de 2017

Pensamentos

Efêmeros,
Não duram mais
Do que um único instante.
Se eu posso dizer,
Não mais existem no presente.
São constantes do passado
Que nos guiam no futuro
E nos identificam no agora.
Se se apoiam na memória,
Eu existo.
Se esvaziados de lembrança,
Não me resta vida.
Um acerto de Descartes:
"Eu penso, eu existo".
Porém, o existir em si mesmo
Só se faz possível
Se se constitui da história.
A vida não se define no corpo;
Tão pouco naquilo que chamam 'alma'.
É possível estar morto sem perecer.
Morre-se ao se perder de si mesmo.
Morrer é sucumbir a consciência
Ao tormento do esquecimento.